Ouça a Nova Era 94,1 FM
Pelos Aplicativos

Clique para Ouvir Peça sua música

JORNAL A NOSSA VOZ - Força tarefa contra Aedes Aegypti


g

Da esquerda par direita: O locutor Nil Lima, a coordenadora de Vigilância Epidemiológica de Porangatu, Aline Fagundes, o Secretário Municipal de Saúde, Lairton Rodrigues, o Coordenador de Controle de Vetores, Vereador Silvestre Leal, Tenente Dias, representando o 11º Batalhão dos Bombeiros, a Gerente de Imunizações e Rede Frio da Secretaria Estadual de Saúde, Clésia Vecci e a jornalista Sheilismar Ribeiro.

 

Secretaria da Saúde do Estado de Goiás iniciou hoje, uma força-tarefa para combater o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungnya e zika vírus. No primeiro dia de trabalho, deve haver mutirões simultâneos em 33 municípios para eliminar os criadouros do mosquito. Em Porangatu, a força tarefa foi iniciada na Vila record com concentração de equipes em frente ao posto de saúde do setor. A Gerente de Imunizações e Rede de Frio da secretaria Estadual de saúde (SES- GO), Clésia Vecci, a Coordenadora de Vigilância Epidemiológica de Porangatu, Aline Fagundes, o secretário municipal de Saúde, Lairton Rodrigues, o Coordenador de Controle de Vetores, Vereador Silvestre Leal e o Tenente Dias, representando o 11º Batalhão do Bombeiros, estiveram na abertura da operação e também no Jornal A Nossa Voz da Rádio Nova Era FM para esclarecer mais sobre essa ação em todo o Estado. 

Segundo Clésia, a meta é visitar todos os imóveis do estado, um total de mais de 3,1 milhões, até o próximo dia 31. O trabalho é desenvolvido pelo Comitê Executivo Estadual de Combate ao Aedes em parceria com o Corpo de Bombeiros. Fazem parte da força-tarefa agentes de combate a endemias, agentes comunitários de saúde, técnicos da SES-GO, bombeiros e voluntários. 

A Secretaria registrou 187.448 mil casos de dengue em Goiás, dos quais 81 levaram os pacientes a óbito durante o ano de 2015. Em dezembro, o estado decretou estado de emergência em saúde pública, causa do grande número de casos da doença. O decreto autoriza a compra, sem a necessidade de licitação, de medicamentos para tratamento de pacientes, inseticidas, máquinas e veículos necessários para o trabalho de pulverização. Além disso, será permitida a contratação temporária de pessoal para atuar nas ações preventivas de controle do mosquito. 

A fiscalização deve ser repetida nos meses de fevereiro, abril e junho. Portanto, cada local deve receber quatro visitas até o final do primeiro semestre de 2016. Em Porangatu, o cronograma de atendimento a cada bairro, será divulgado através de carro de som e também no Jornal A Nossa Voz.

 

 SHEILISMAR RIBEIRO

 

TOP 10

Últimas Nóticias